terça-feira, 2 de junho de 2015

ANO SABÁTICO























Como certamente repararam os leitores mais assíduos, já há algumas semanas que não publicamos nada na nossa página. Não pelo motivo que tenhamos acabado como grupo, ou sequer que tenhamos deixado de pedalar, no entanto, resolvemos que o melhor este ano, era fazer-mos uma pausa... Devido, aos afazeres profissionais, aos infortúnios e as circunstâncias da vida de cada elemento, achamos por bem fazer este um ano de reflexão para voltarmos com mais força para o próximo ou até para por-mos em pratica projectos pessoais adiados.

Até já!

O que significa ano sabático?

No mundo judaico antigo, um de cada sete anos era destinado por lei ao repouso compulsório. A terra não podia ser cultivada, as dívidas se extinguiam, os escravos conquistavam a liberdade. Não era permitido sequer colher os frutos das árvores. Terminado esse período, conhecido como ano sabático, tinha início um novo ciclo de vida.

Nos dias actuais, o sabático está de novo em evidência, mas agora com um novo significado, de carácter pessoal. A ideia básica ainda é realizar uma pausa prolongada antes de uma nova etapa. Mas já não se trata apenas de deixar a terra inculta. A meta agora é cultivar o espírito, para que algo novo floresça.

Os "sabatistas" de hoje dão uma resposta radical a angústias que são de quase todo mundo: de sentir-se esmagado por uma rotina que deixou de fazer sentido, de ser prisioneiro de decisões tomadas em um passado com qual já não é possível identificar-se, de ter a sensação de que todo novo dia é sempre o mesmo dia, sem conduzir a nada. Diante disso, os adeptos do sabático abandonam afazeres e responsabilidades para mergulhar dentro de si mesmos, em uma jornada de redescoberta e reinvenção.

Nessa nova encarnação, o ano sabático deixou de ser uma obrigação religiosa para virar um sonho acalentado por muitos, ainda que realizado por poucos — bem poucos. 

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

ATRASO NAS PUBLICAÇÕES


Peço desculpa, principalmente aos meus amigos CicloBeatos, por ter deixado de publicar  desde Novembro.

Mas os afazeres pessoais e profissionais não me deixaram alternativas, sendo que uma das minhas paixões teve de ser deixada um pouco de parte, não definitivamente, mas apenas um pouco. Portanto e para me redimir deste acto sem perdão, começo a partir de hoje a publicar todas as crónicas que ficaram por publicar desde o dia 20 de Novembro de 2014.

Espero que tenham tido paciência e que desfrutem delas como se de novas aventuras se tratassem.
Obrigado a todos.

domingo, 11 de janeiro de 2015

SOL NAS BICAS


Num dia com muito sol e nós sem vontade de andar no sobe e desce das serras, resolvemos, ir até à praia, mais propriamente falando... À praia das Bicas, no concelho de Sesimbra.
Realizamos cerca de 52 km com 629 metros de acumulado em subidas.
A comitiva do dia foi composta pelo João, pelo Fernando e pelo Renato.

Como nota negativa do dia, aponto um dos muitos sinais de proibição que estão a tornar-se virais no nosso PNA.
Desta vez uma proibição que não só visa os motociclistas (retratados na proibição), mas essencialmente quem faz este percurso a pé ou em bicicleta, pois é um desvio a enormes poças de água, e que obriga a quem por aqui passa a transpor-las pelo meio. Sinceramente não acredito que este pequeno desvio em terrenos arenosos e completamente abandonados, ponha em causa qualquer actividade que esteja a ser desenvolvida dentro da dita propriedade.
Para mim trata-se de mais um vergonhoso acto de abuso de poder e de falta de respeito por quem gosta de por aqui passear.




domingo, 4 de janeiro de 2015

PRIMEIRA DO ANO... SEM O TITA


No dia em que infelizmente para nós, o nosso amigo Hipólito (Tita), partiu para uma nova fase da sua vida, fomos andar de bicicleta, para a primeira volta do ano, após bem cedo todos ter-mos recebido uma sentida mensagem de despedida do nosso amigo.

Hoje também tivemos o prazer de voltar a pedalar com o Zé António e o Viegas, os restantes do grupo, foram o João, o Machado, o Fernando, o Flávio e o Renato.
Realizamos 34 km com 691 metros de acumulado.



ATÉ JÁ HIPÓLITO


Por esta hora, em que publico, esta crónica, o nosso amigo CicloBeato, Hipólito, parte com destino a uma nova fase na sua vida, desta vez longe de Portugal, bem longe, no hemisfério sul.

Nós, os seus amigos CicloBeatos desejamos-lhe toda a sorte do mundo e que tudo lhe corra como pretende e merece. Também deixamos patente neste espaço a imensa saudade que iremos sentir da sua companhia, quer a pedalar, quer em outras actividades que partilhamos com ele ao longo destes anos em que tivemos o prazer da sua companhia.

Sabes que estarás sempre presente nas nossas aventuras por cá, assim como também sabemos que estarás sempre connosco, no coração, apesar dos milhares de quilómetros que nos separam fisicamente.

ABRAÇO FORTE E COM MUITA SAUDADE DOS TEUS AMIGOS CICLOBEATOS.
ATÉ JÁ!

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

FELIZ ANO NOVO


"Feliz Ano Novo! Não existem sonhos impossíveis para aqueles que realmente acreditam que o poder realizador reside no interior de cada ser humano, sempre que alguém descobre esse poder algo antes considerado impossível se torna realidade." (Albert Einstein)

"Nossa mente se desenvolveu para viver no presente, o passado ficou para trás, o futuro é uma história que começa a ser escrita no momento que iniciamos uma acção, o ano que passou não podemos mudar, mas o novo ano que se anuncia pode ser o palco onde poderemos realizar todos os nossos sonhos, então, meu desejo para você é: Acredite em você e viva o presente para poder se regozijar com as delícias do futuro."

FELIZ ANO NOVO DE 2015

domingo, 28 de dezembro de 2014

DOMINGO LIGHT


Depois de uma sexta feira muito dura, hoje, e para desconsolo do Renato, resolvemos fazer uma volta de descompressão, ou "light" se preferirem.
Estiveram presentes neste treino "levezinho", o Hipólito, o Machado, o Fernando, o Flávio e o Renato, realizando apenas 26 kms, com 496 metros de acumulado.

Ainda assim tivemos tempo de visitar o cabeço do Zimbral, onde a placa de aviso continua intacta, para nossa admiração e para sorte do "engraçadinho" que lá a colocou.
Pois apesar de ser propriedade privada, até que ponto podem proibir quem por ali passa a pé de o fazer, já que para o fazerem pelo menos teriam de colocar uma placa homologada e não a palhaçada que por ali continua de pé.
Enfim... Mas como estamos no país dos brandos costumes...